APRENDA TUDO SOBRE MIOMA UTERINO: CAUSAS, SINTOMAS E TRATAMENTOS

mioma uterino
mioma uterino

O assunto que irei abordar hoje é o famoso mioma uterino. Você já ouviu falar sobre miomas? É bastante provável que você já tenha ouvido falar sobre esse assunto ou até mesmo já teve ou conhece alguém que teve miomas uterinos.

Será que é mioma é algo preocupante e grave? De repente você pode ter visto no seu exame o diagnóstico de um mioma, não conversou com seu médico ainda e está muito preocupada.

Pode respirar fundo. Hoje tirarei todas as suas dúvidas sobre miomas e seus sintomas. Terei a oportunidade de explicar o que é o mioma, porque ele acontece, quais os fatores de risco que estão ligados a ele, quais são os sintomas, quais são as opções de tratamento e muito mais.

O que é Mioma uterino?

Comecemos então pelo básico: o que é o mioma uterino? O mioma uterino pode ser definido como uma proliferação nodular. Isso porque é um nódulo das células da camada do útero. Ele é considerado um nódulo benigno e, portanto, não causa tanta preocupação.

Para ter o diagnóstico absoluto de que aquele nódulo é de fato um mioma, o patologista pode realizar uma análise dele. Contudo, outra maneira também muito precisa e simples de diagnóstico do mioma uterino é por meio do exame de ultrassom.

Geralmente, pode-se concluir que é um mioma porque raramente a pessoa apresenta um nódulo no útero maligno, denominado sarcoma.

O mioma consiste na proliferação das células do útero. Mas e qual é o motivo dessa proliferação? Essa proliferação ocorre, normalmente, por conta de um desequilíbrio nos nossos hormônios.

O que acontece para o surgimento de miomas é que, em resumo, há um desequilíbrio hormonal que acaba fazendo com que esse nódulo cresça na própria parede do útero.

Existem três tipos de miomas e cada um deles cresce em determinados locais. O primeiro tipo de mioma é o subseroso, que fica localizado na parte de fora das paredes do útero. Existe também o intramural, que fica entre as paredes do útero. E, por fim, podemos citar o que se localiza dentro do útero, que se chama submucoso.

A forma como os miomas uterinos crescem é mutável. Pode crescer de forma rápida ou lentamente, ou pode não crescer. Pode acontecer dos miomas crescerem de forma muito rápida e abrupta como também podem encolher sem nenhum tipo de intervenção externa.

O mioma é algo, que infelizmente, é bem frequente nas mulheres. Porém, em contrapartida, é um nódulo benigno então não é algo tão preocupante quanto outras doenças do útero, por exemplo.

Clique AQUI Para Ler Mais Artigos Da Nossa Ginecologista

Quais são os fatores de risco do mioma uterino?

Existem alguns fatores de risco para o mioma uterino que estão relacionados a determinados casos. Citaremos abaixo alguns deles:

  • Mulheres que não tiveram filhos
  • Mulheres que tiveram filhos de forma tardia
  • Mulheres que tiveram a primeira menstruação muito precoce
  • Mulheres que tiveram a menopausa de forma tardia
  • Uso de álcool

É importante ressaltar que esses são apenas fatores de risco que estão ligados com o aparecimento dos miomas uterinos. Não significa que a pessoa que se encaixa nesses perfis necessariamente vai ter um mioma uterino.

 

Quais são os principais sintomas do mioma uterino?

A maioria dos miomas uterinos são assintomáticos. Porém, em uma pequena parcela dos casos podem ocorrer a manifestação de alguns sintomas que serão citados em seguida.

Sangramento é algo que pode se manifestar como sintoma. Cólica também pode ser um sintoma e ocorre porque por vezes o útero precisa contrair mais. Além disso, pode ocorrer aborto, porque quando o mioma está dentro da cavidade uterina, ele pode funcionar como como corpo estranho lá dentro.

Quando o mioma cresce muito, que é uma complicação mais rara de ocorrer, pode trazer como sintoma o aumento do volume abdominal e também inchaço nas pernas.

 

Como ocorre o diagnóstico?

Tendo em vista que a maioria dos miomas uterinos são assintomáticos, você pode acabar se questionando: então de que maneira é possível o diagnóstico? O diagnóstico na realidade é simples e é feito por meio do chamado ultrassom pélvico transvaginal.

Esse exame é simples e geralmente é pedido pelos próprios médicos durante a realização de exames de rotina. Portanto, é de extrema importância que a mulher faça consultas regulares ao ginecologista.

Em casos mais pontuais e raros, quando o médico necessita de uma avaliação melhor do caso, é possível que ele peça uma ressonância nuclear magnética. No entanto, para diagnóstico do mioma uterino geralmente um ultrassom pélvico transvaginal é suficiente.

Clique AQUI Para Ler Mais Artigos Da Nossa Ginecologista

Qual o tratamento para mioma uterino?

O tratamento para o mioma uterino vai depender de cada caso. Quando o mioma é diagnosticado e é muito pequeno, além de não incomodar em nada, geralmente não se faz nada para tratá-lo naquele momento.

O seu médico ginecologista, no entanto, vai te orientar a fazer um acompanhamento regular e o tempo de repetição dos exames vai depender do que ele achar mais adequado para aquele caso.

Se o mioma uterino chegou a um nível onde está crescendo dentro de você, dependendo do local onde esteja, pode acabar comprimindo diversos órgãos como bexiga, intestino, algum órgão pélvico.

Outro tipo de situação que pode ocorrer, embora de maneira muito rara, é a sensação de estar grávida, pois ele pode crescer tanto que acaba sendo semelhante a uma gestação.

 

Diferentes tipos de manifestações que podem ocorrer dependendo do local onde esteja são:

  • pode desenvolver casos de abortamento
  • pode trazer cólicas
  • sangramentos vaginais, sendo que este último ocorre porque o útero não contrai tão bem

Finalmente, diante de todas essas situações que podem ocorrer, quais são as formas de tratamento? Existe o tratamento clínico e o tratamento cirúrgico.

 

Tratamento clínico

Falando primeiramente sobre o tratamento clínico ele geralmente se dá por meio do bloqueio hormonal. Como vimos, os miomas uterinos surgem a partir de um desequilíbrio hormonal.

Esse desequilíbrio normalmente acontece quando temos um predomínio do hormônio estrogênio ou, ainda, uma deficiência do hormônio progesterona. Esse bloqueio vem no sentido de compensar o desequilíbrio.

Existem algumas formas que essa compensação pode acontecer. Uma delas é o uso de anticoncepcional contínuo. Em muitos casos faz-se a combinação entre o estrógeno e progestágeno. Depois disso, realiza-se um acompanhamento para avaliar se houve uma boa resposta ou se o mioma cresceu.

Caso esse tratamento não seja possível, outras opções são: o uso do DIU mirena, usar progestágeno pela via oral, e, por fim, um implante de gestrinona.

Como vimos, são várias as abordagens clínicas para os miomas e é o seu médico ginecologista que irá avaliar o melhor segmento para cada indivíduo.

Clique AQUI Para Ler Mais Artigos Da Nossa Ginecologista

Tratamento cirúrgico

Com relação ao tratamento cirúrgico, a opção de operar ou não vai depender de cada caso. Em que situações, geralmente, o médico pode vir a indicar uma cirurgia?

Quando o mioma uterino está muito grande, quando está se manifestando de maneira que incomoda, quando está causando aborto, quando faz alguma compressão em algum órgão.

Conforme for o local, pode ser recomendado uma miomectomia, que consiste na retirada do mioma por meio de videolaparoscopia, que, falando de forma simples, são aqueles furinhos que fazem na barriga ou umbigo.

Outra opção de tratamento para o mioma é a videohisteroscopia que é uma cirurgia feita pela vagina e é realizada quando o mioma está dentro do útero.

Pode ocorrer de o mioma uterino crescer muito e não ser mais possível realizar tratamentos clínicos. Em alguns casos é até necessário fazer uma cirurgia de retirada de útero.

Todas essas manifestações podem ocorrer, algumas de formas mais raras que outras. A boa notícia é que os miomas uterinos são muito fáceis e simples de serem diagnosticados.

Havendo o diagnóstico, mesmo que a princípio não seja preocupante, o acompanhamento médico é fundamental. Será ele(a) que irá te orientar com relação a como vocês irão prosseguir. Seja com o tratamento, ou apenas com o acompanhamento daquele mioma uterino.

Isso é fundamental porque os miomas uterinos podem surgir dentro de você sem que você nem perceba. Se eles forem assintomáticos e você descobrir apenas quando o tratamento clínico já não for mais possível, poderá trazer consequências sérias para sua vida.

Principalmente mulheres que ainda tem vontade de ter filhos, é importante que seja evitado chegar a uma situação extrema de ter que fazer uma cirurgia de retirada de útero por conta do mioma uterino que cresceu muito e não há mais possibilidade de nenhum outro tratamento.

Clique AQUI Para Ler Mais Artigos Da Nossa Ginecologista

Concluindo

Devemos aproveitar que é uma condição bem simples de ser diagnosticada, que pode ser detectada em um exame simples como a ultrassom pélvico transvaginal, e fazer a nossa parte. Ou seja, comparecer ao médico e fazer os exames de rotina de acordo com a frequência que ele(a) recomendar.

Caso você esteja sentindo algum ou alguns dos sintomas que abordamos hoje, é mais um sinal de alerta para procurar um médico. No entanto, não devemos esperar que eles surjam, pois, como vimos, o mioma uterino pode ser assintomático.

Se você é uma das pessoas que está passando por isso neste momento, não se desespere. Como pudemos ver hoje, há solução e há tratamento.

Espero que você tenha gostado de saber um pouco mais sobre miomas uterinos. Se gostou do conteúdo não se esquece de curtir, comentar o que achou. Te convido a comentar se você já teve alguma experiência com esse assunto. Não se esquece de se inscrever no canal do youtube e compartilhar com as amigas!

Comenta AQUI